15 coisas que o Design faz pela sociedade e você não percebia

Quando estamos em fase de descobrirmos a nossa vocação, fazemos alguns questionamentos buscando esclarecer nossas impressões pessoais sobre determinadas profissões e o dia a dia desse(a) profissional: “O que eu gosto de fazer?”

Para ajudar nessa difícil decisão, ainda mais vivendo num tempo de incertezas como este da Pandemia que enfrentamos, sugerimos que tente mudar um pouco sua perspectiva: “Como a profissão que anseio exercer contribui para a sociedade?”

Mas primeiro, vamos à pergunta principal: você tem uma visão clara sobre a função de um(a) profissional de Design?

Além de sugerirmos que assista ao vídeo da Mauá, “Descobrindo o Design, vamos buscar explicar, a seguir, a importância do(a) designer!

Design, de uma maneira geral, significa PROJETO. Logo, o(a) seu profissional trabalha para resolver os problemas da sociedade por meio do desenvolvimento de produtos e serviços usuais e atrativos, auxiliando tanto a área de Engenharia (técnica) quanto as áreas de Gestão/Administrativa/Comercial das corporações.

Há alguns tipos de Design, como o Design Gráfico e o Design de Produtos. Vamos às diferenças:

  1. Design Gráfico trata o projeto da Identidade Visual, da marca, do logotipo, e das representações bidimensionais de um projeto;
  2. Design de Produtos, como o próprio nome sugere, já tem o foco no produto , na criação de uma solução que será representada tridimensionalmente para posteriormente ser produzida em escala industrial.

O(a) designer de produtos tem 3 importantes missões nas corporações, pois trará insights quanto à Factibilidade, ou seja, provará se o produto realmente poderá ser produzido com a tecnologia atual ou até mesmo prever mudanças cabíveis num futuro próximo; estudará a sua Viabilidade, mostrando se o produto poderá se transformar em um negócio autossustentável, e se isso será alcançado a curto ou longo prazo; além disso, contribuirá para a Desejabilidade, trabalhando para que aquele produto supra os desejos e as necessidades de seus possíveis usuários.

Dito isso, trazemos agora 15 contribuições do(a) profissional do Design para a sociedade que você provavelmente não percebia, relacionadas pela professora Claudia Facca, coordenadora do curso de Design da Mauá, e professor Everaldo Pereira.

  1. Design Thinking: uma abordagem centrada no ser humano voltada para a inovação, que usa ferramentas dos designers para integrar às necessidades das pessoas, às possibilidades da tecnologia e aos requisitos para o sucesso dos negócios;
  2. Design de Produtos: criação e desenvolvimento de novos produtos e bens de consumo que serão produzidos em pequena, média ou larga escala, de forma artesanal ou industrial;
  3. Design Gráfico: criação e desenvolvimento de projetos gráficos para identidades visuais, publicações, anúncios e vinhetas de TV e internet destinados à comunicação;
  4. Design de Serviços: criação e desenvolvimento de soluções em serviços e novos negócios, transformando a posse em uso, muitas vezes de forma compartilhada;
  5. Design Digital: criação e desenvolvimento de aplicativos, sites, jogos eletrônicos para computadores, celulares, tablets ou consoles de videogames;
  6. Design de Interfaces (UX – User Experience e UI – User Interface): criação e desenvolvimento de soluções para possibilitar e melhorar as experiências e interações entre produtos/serviços e usuários;
  7. Design de Moda: criação e desenvolvimento de acessórios, roupas e calçados ou até uma coleção completa;
  8. Design de Interiores: planejar, organizar e decorar espaços, escolhendo e/ou combinando os diversos elementos de um ambiente, estabelecendo relações estéticas e funcionais;
  9. Food Design (Design de Alimentos): criação e desenvolvimento de soluções relacionadas ao comer e aos produtos alimentícios;
  10. Design Instrucional: criação e desenvolvimento de soluções pedagógicas que trata do conjunto de métodos, técnicas e recursos utilizados em processos de ensino-aprendizagem, principalmente considerando o momento de pandemia e da educação mediada por tecnologia;
  11. Design Estratégico: aplicação do pensamento do design como gestão e/ou estratégia de inovação na cadeia de valor do negócio;
  12. Design da sinalização: tanto de identificação como de orientação, de áreas e prédios, como hospitais e parques;
  13. Design de informação, como os infográficos, que organizam e facilitam o acesso das pessoas a um grande volume de dados;
  14. Design de marcas e embalagens, que criam diferenças entre as opções de empresas e facilitam a busca e seleção de produtos e serviços;
  15. Design de ícones digitais, como os emojis, que facilitam e agilizam a conversação, reduzindo uma ideia complexa de se escrever para um visual de fácil entendimento.

O curso de Design da Mauá é totalmente voltado para a prática, com o desenvolvimento de projetos em todos os semestres, do início ao fim. Todos eles são desenvolvidos com empresas parceiras de diversos setores (Automotivo, Eletrodomésticos, Eletroeletrônicos, Embalagens, Mobiliário, Moda e Acessórios, Serviços, Games e Entretenimento, entre outros) que trazem para a academia problemas reais do mercado que serão solucionados por equipes de alunos e professores criativos e competentes. Essas equipes multidisciplinares fortalecem o tripé da inovação, mote estratégico da instituição, com a integração entre as áreas de Design, Engenharia e Administração.

Ser designer Mauá é contar com um curso reconhecido com nota máxima no MEC e que permite ao aluno dupla Diplomação, graças à parceria com a De Montfort University – DMU, Inglaterra! Clique para saber mais.

Conheça os cursos de Graduação em Engenharia, Administração e Design da Mauá e se inscreva para receber informações sobre o Processo Seletivo 2021!

#MauaContraCoronavirus  #Design #ProfissoesdoFuturo #Pandemia #PosPandemia #VestibularMaua #DesenvolvaSuaVisao #Administracao #Engenharia #TripeDaInovacao #Vestibular  #Inovacao #Tecnologia #Lideranca #Gestao #Ciencia #carreira #eusouMaua #vaiMaua #orgulhodeserMaua

3 Replies to “15 coisas que o Design faz pela sociedade e você não percebia”

  1. Fiz o Ceai em 1984/5.
    Depois ministrei aulas na Mauá no Curso de Embalagem, junto com Cabral.
    Uma noite sem energia, fiquei com a turma, das 18 às 23, no escuro.
    Foi um show.
    Pena que não reconheceram a profissão designer.
    Sdds

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.