Giovanna Agarelli é aluna da última série de Engenharia Mecânica da Mauá e hoje ela vai contar sua experiência de intercâmbio na Universidad Técnica Federico Santa María – Chile, graças a uma bolsa que ganhou no programa Fórmula Santander! 😀

Confira o que Giovanna tem a dizer sobre sua experiência no Chile: “O intercâmbio teve duração de 38 dias, com início em 27/11/2016 e término em 03/01/2017. Durante a estadia no Chile, fiquei realizando meu trabalho de pesquisa em Viña del Mar/ Valparaíso no período de 28/11/16 até 21/12/16. Após essa data, no dia 22/12/16 até 01/01/17, fiquei hospedada em uma casa de família no Centro-Sul do Chile, mais especificamente na cidade de Curarrehue.

A faculdade na qual realizei a minha pesquisa foi a Universidad Técnica Federico Santa María, considerada a melhor faculdade de Engenharia do país. Tive a oportunidade de ficar na unidade Casa Central, situada em Valparaíso, cidade de divisa com Viña del Mar.

Minha família sempre prezou um balanço entre diversão e aprendizado, cultivando nas brincadeiras cultura e a paixão pelo saber e pelo aprender. Essa paixão, impulsionada pelo meu fascínio por aviões e pelo incentivo de uma de minhas professoras mais estimadas, chamada Rosana C. Rosatti, do terceiro colegial do Colégio Agostiniano Mendel, foram os principais responsáveis pela escolha por Engenharia Mecânica. Porém, não bastava apenas escolher o curso, mas também ter a certeza de ingressar em uma faculdade que me proporcionasse base e segurança de ser uma boa profissional, capaz de realizar soluções para a sociedade ao invés de complicações.

Percorrendo o campus, fui observando as construções baixas e tradicionais, preservadas e muito bem alocadas. Não bastasse tais encantos, ao ouvir os valores prezados pela faculdade: agir com ética, valorizar o próximo e incentivar o conhecimento e inovação, soube que a Mauá era a faculdade certa para entrar e pegar o tão desejado CREA.

A partir do terceiro ano de Engenharia Mecânica, tive a oportunidade de entrar em contato com o departamento de Relações Internacionais (RI) da Mauá, onde conheci a estagiária da área, Mariana Cristina da Silva, a qual se tornou uma grande amiga. Ajudei-a na assessoria a uma dupla de japoneses que vieram para a Mauá estagiar no departamento de motores. E, a partir de tal experiência, comecei a me interessar muito mais em realizar um intercâmbio, porém o custo de tal programa particular se mostrava muito elevado.

Foi quando a aluna Mariana informou-me sobre a oportunidade de bolsas de estudo que a faculdade dava para alunos inscritos nos programas de RI, em especial as bolsas fornecidas pelo banco Santander. Criei coragem e me inscrevi no programa Fórmula Santander, rezando para que ao menos considerassem a hipótese de me selecionarem para a próxima etapa de inscrição, uma vez que o desempenho acadêmico era um critério importante de triagem.

Muito surpresa, após algumas semanas, recebi um convite por email do departamento de RI, dizendo que havia passado para a etapa de entrevistas do programa! Agendei-la, ansiosa! Após a entrevista, fiquei na expectativa e na espera por uma resposta. Nunca imaginei em receber uma resposta afirmativa, porém, depois de uns 5 dias, recebi um email que havia sido selecionada. Não poderia ter ficado mais feliz e surpresa! Após tanta ansiedade, havia sido selecionada!

A experiência no Chile foi única e totalmente produtiva. Cada cidade abriga seus costumes e culturas, suas histórias e crenças. Porém, todas possuem uma relação em comum: a valorização do ensino para o desenvolvimento sustentável e tecnológico. O povo chileno preza muito a disciplina no ensino, objetivando inovar com a melhor qualidade de mão de obra possível em qualquer setor da economia, em minha opinião. Ao longo de minha viagem, tive a oportunidade de conhecer 7 cidades/regiões: Viña del Mar, Valparaíso, Isla Negra, Villarrica, Pucón, Curarrehue e Rio Blanco.

Acredito que com esse intercâmbio consegui formar valores essenciais para minha formação profissional e acadêmica, mas a mais importante, a humana. Por meio da convivência com os chilenos, pude perceber que a amizade, o amor, a solidariedade, a disciplina e a persistência são de primordial importância na vida de qualquer ser humano, antes do que o montante material que este é capaz de arrecadar.

Penso que para um futuro, carregarei todos estes aprendizados junto com o acadêmico em todas as atividades que irei realizar. Neste exato momento, não tenho certeza do real ramo de minha engenharia em que quero me especializar; apenas sei que em tudo que fizer vou equilibrar o racional com a parte humana e sustentável.”

 

Conheça as opções de intercâmbio: acesse a página de Relações Internacionais da Mauá!

 

#EngenhariaMecanica #intercambio #Chile #eusouMAUA #vaiMAUA #orgulhodeserMAUA

Nenhum comentário para “Relações Internacionais | Giovanna Agarelli – Chile”

Quer exibir sua foto? É fácil, basta cadastrar no site Gravatar o e-mail utilizado para fazer os comentários.

Deixe um comentário