O Programa Ciência sem Fronteiras, além de oferecer ao aluno um intercâmbio educacional, também o expõe a diversas situações e experiências que irão contribuir para a formação profissional do estudante.

Conversamos com a aluna de Engenharia de Produção do Instituto Mauá de Tecnologia, Fernanda Cerqueira, que está em intercâmbio nos Estados Unidos há mais de 11 meses.

Olha só a experiência que ela está adquirindo:

Blog da Mauá – Como está sendo a sua experiência em relação à hospedagem, ao ensino e à nova cultura?

Fernanda Cerqueira – É uma experiência completamente diferente. Enquanto no Brasil a universidade é um lugar para o qual você vai apenas para ter aulas, nos EUA sua vida gira em torno da faculdade. Tudo começa pelos dormitórios, onde você mora com outros estudantes. Poderia ser comparado a um eterno acampamento de férias. No começo foi difícil porque tive que dividir o quarto com uma menina que tinha acabado de conhecer e não tinha banheiro no meu quarto, o que significa que tinha que dividir um banheiro comunitário com outras 30 garotas que moram no mesmo corredor. Foi estranho, mas logo eu acostumei com a rotina de viver em comunidade e foi legal para conhecer gente nova. Eu sempre encontro com alguém no corredor ou no refeitório e tenho chance de conhecer melhor as pessoas. Para mim está sendo uma experiência incrível, muito bacana como os estudantes deixam a suas casas e são imersos completamente nesse novo mundo. Muitos deles vão sozinhos e sem conhecer ninguém, mas as amizades crescem muito rapidamente pelo fato de você morar com os seus amigos. É muito mais intenso do que apenas vê-los durante as aulas. Fiz amigos de verdade, a maioria deles americanos. Tive a oportunidade de conhecer bem de perto essa cultura. Agora mesmo estou em Dallas (Texas) na casa de uma das minhas melhores amigas americanas, que me chamou para passar o feriado de Thanksgiving com a família dela. É interessantíssimo, pois estou conhecendo uma cultura diferente.

Blog da Mauá – Quais foram as suas dificuldades?

Fernanda Cerqueira – No começo foi entender que a cultura aqui é diferente. As pessoas são criadas de uma forma diferente do Brasil, acho que os brasileiros são um pouco mais abertos do que pessoas de outros países. No começo, demorou pra entender que eu estava em outro país, os costumes são diferentes. A comida também é algo a se acostumar. Mesmo tendo diversas opções no refeitório, nada é como a comida brasileira. A língua também pode ser outra dificuldade, o meu conselho é tentar se aproximar ao máximo de americanos para desenvolver o Inglês. Muitas vezes pessoas do mesmo país ficam juntas por ser mais confortável, mas a experiência é muito melhor quando você se joga completamente nesse novo mundo.

Blog da Mauá – Qual é a diferença entre o estudo no Brasil e nos Estados Unidos?

Fernanda Cerqueira – Nos Estados Unidos você passa muito menos tempo numa sala de aula e muito mais tempo fazendo trabalhos e tarefas fora da sala de aula. No começo me sentia no Ensino Médio de novo, tendo lição de casa para o dia seguinte, mas depois você acostuma. São dois métodos diferentes, é legal experimentar os dois. No Brasil eu tinha que ter muito mais disciplina, mesmo que eu não fizesse exercício em casa, eu teria que saber para fazer as provas, já nos EUA sou obrigada a estar sempre treinando em casa porque as lições de casa contam para a minha nota final. Aqui são dadas mais oportunidades de conseguir crédito extra, por meio da participação em aulas e fazendo as lições de casa.

Blog da Mauá – Quais aprendizados você adquiriu e vai levar para  sua vida?

Fernanda Cerqueira – Aprendi a ser mais independente, ter que viver em uma cidade na qual eu não conhecia alguém, fez com que eu saísse da minha zona de conforto para conseguir as coisas que eu precisava e para fazer novas amizades.

Blog da Mauá – Você incentivaria outros alunos a procurarem programas de intercâmbio? Porquê?

Fernanda Cerqueira – Com certeza. Não tem nada melhor para você aprender a ser mais independente e entender que o mundo é muito maior e diferente do que aquele onde você esta acostumado a viver.

Blog da Mauá – Como essa experiência vai ajuda-la ser a profissional que você pretende ser?

Fernanda Cerqueira – O maior aprendizado foi lidar melhor com as pessoas. Eu nunca vivi em um lugar com tantas pessoas diferentes de mim como vivo aqui. Moro junto com 30 meninas com idades que variam de 18 a 22 anos.  Foi preciso aprender a viver em comunidade, dividir quarto, banheiro, perder um pouco da privacidade. Aprender a respeitar as pessoas e trabalhar bem em grupo é extremamente essencial no âmbito profissional e é o maior aprendizado que levo dessa experiência.

1 comentário para “Ciência sem Fronteiras: Fernanda Cerqueira”

Quer exibir sua foto? É fácil, basta cadastrar no site Gravatar o e-mail utilizado para fazer os comentários.
Maria Jose Pires Cerqueira

28 de novembro de 2013 ás 17:19

Participar desta experiência junto com a nossa filha foi fantástico, mesmo estando longe, notamos a cada passo, durante este ano, o quanto será importante para sua carreira este novo aprendizado.
Sem sombra de dúvida o Programa é muito interessante. As Universidades e o Governo devem incentivar outros jovens!!!
Mas acima de tudo não posso deixar de ressaltar, ela é guerreira!!!

Deixe um comentário