1.º Prêmio AEA Jovem Engenheiro Automotivo

O ex-aluno do curso de Engenharia Mecânica da Mauá, Rafael Bisagna Moura é um dos vencedores do “1.º Prêmio AEA Jovem Engenheiro Automotivo”, promovido pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, com o projeto: “Injeção direta de alta pressão em motores de ignição por faísca: desempenho, eficiência e emissões”.
Além da premiação pelo projeto, Rafael também será premiado por seu currículo acadêmico.

“Ser premiado pela AEA, uma associação de grande reconhecimento pela indústria automobilística, é consequência de muita dedicação e motivo de muito orgulho. Certamente, o prêmio será de grande importância para minha carreira profissional, pois mostra o interesse na exploração e desenvolvimento de novas tecnologias em busca de mundo sustentável, além de ser reconhecido por grandes empresas e importantes membros associados à AEA.”, comenta Rafael.

A premiação acontecerá durante o evento XX SIMEA – Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva em 24 de setembro.
Confira o resumo do projeto:

Injeção direta de alta pressão em motores de ignição por faísca: desempenho, eficiência e emissões

O objetivo desse trabalho é comparar o comportamento de combustão e operação do motor utilizando injeção direta de alta pressão, 12 MPa (120 bar), com sistema de injeção direta de baixa pressão, 1 MPa (10 bar). Para esse estudo foi usado um motor monocilíndrico de 390 cm³ e um sistema de injeção externo utilizando uma bomba de alta pressão desenvolvido para atingir a pressão desejada para comparação.

O motor foi testado em alta e baixa pressão de injeção. Após o teste, chegou-se à conclusão de que selecionando pressão para um sistema de combustão já existente pode-se ocasionar reações não previstas, como as instabilidades de combustão observadas durante a operação do motor. Porém, nos testes realizados, observou-se que a alta pressão de injeção proporciona até 67% de redução de emissão de HC não queimado e 2,.7% de redução no consumo de combustível, o que é explicado pela mistura mais homogênea e formada mais rapidamente decorrente do maior número de gotículas de menor tamanho, que por sua vez entram em contato com o ar dentro do cilindro, promovendo uma queda de temperatura na medida em que o combustível vaporiza.

Ao selecionar um sistema de injeção direta, é preciso avaliar diversos aspectos, como o sistema de admissão de ar, e não apenas o sistema de injeção de combustível, visto que a turbulência de ar dentro do cilindro e sua movimentação geram significativos efeitos no fenômeno da combustão.

Parabéns Rafael! 🙂

2 Replies to “1.º Prêmio AEA Jovem Engenheiro Automotivo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.