Há muita discussão quando o assunto é micro-ondas, muitas coisas são ditas, mas há dúvidas sobre o que é verdade e o que é boato.

Para tentar esclarecer algumas dessas dúvidas e entender um pouco sobre esse assunto, conversamos com o pesquisador especialista em micro-ondas Engenheiro José Thomaz Senise e com o professor e coordenador dos cursos de  Engenharia Química e de Alimentos Marcello Nitz.

Qual a diferença entre cozimento convencional e em forno de micro-ondas?

Num forno convencional é preciso aquecer o ar no interior do forno para poder aquecer a superfície do alimento que se deseja cozinhar. O calor da superfície é transmitido para o interior do alimento por condução, no caso de sólidos, ou por condução e convecção no caso de líquidos. A temperatura no interior do alimento não ultrapassa a temperatura da sua superfície nem a do ar do forno.

No forno de micro-ondas, as ondas eletromagnéticas penetram no alimento e aquecem ao mesmo tempo, tanto a superfície quanto o interior.  A profundidade de penetração depende principalmente das propriedades dielétricas do alimento.   As paredes e o ar no interior do forno permanecem frios ou se aquecem pouco. Dessa maneira, pode ocorrer, que a superfície do alimento, em contato com o ar mais frio, não atinja a mesma temperatura do interior, que continua a aumentar pela ação das micro-ondas. Ou seja, a temperatura interna pode ser mais alta do que na superfície. Possivelmente essa é a origem da crença de que “as micro-ondas aquecem de dentro para fora”.

As micro-ondas podem escapar com o forno em funcionamento?

Verdade. As micro-ondas podem escapar, mas as normas internacionais estabelecem que ao longo da vida útil do forno o escape não deva superar 5mW/cm2 (cinco miliwatts por centímetro quadrado) a cinco centímetros de distância de qualquer parte do forno. Esse limite é observado com folga em todos os fornos comercializados, desde que obedecidas as recomendações para sua boa manutenção.

É preciso esperar alguns segundos para abrir a porta?

Mito. Ao abrir a porta, mesmo com o forno em funcionamento, desliga-se instantaneamente o magnetron, ou seja, o gerador de micro-ondas. Após o desligamento, não há “efeito residual” das ondas eletromagnéticas no interior do forno.

Alguns alimentos podem explodir no micro-ondas?

Verdade. Por exemplo, um ovo com a casca intacta. As micro-ondas atravessam a casca, aquecem os líquidos no interior do ovo e podem aumentar a pressão interna ao ponto de romper a casca.

Alimentos preparados no micro-ondas produzem substâncias que podem provocar tumores?

Depende. Se o alimento não produzir substâncias carcinogênicas quando preparado em forno convencional, não poderá fazê-lo em forno de micro-ondas.

Existem plásticos próprios para uso no micro-ondas. No que diferem esses plásticos dos outros?

Verdade. Uma embalagem para micro-ondas deve, a princípio, ser transparente às micro-ondas. Em outras palavras, não deve absorver a energia. Além disso, deve suportar a temperatura de uso. Geralmente a temperatura do alimento não excede a de ebulição da água.

Papel ou recipientes de alumínio podem ser utilizados no micro-ondas?

Há muita desinformação referente ao uso de objetos metálicos no forno de micro-ondas. A verdade pode se resumir no fato de que entre dois objetos metálicos muito próximos pode formar-se um arco. Por exemplo, não se deve aquecer um prato de porcelana que tem nas bordas um filete de ouro ou de prata, já que entre as partículas metálicas podem formar-se arcos que acabam prejudicando o filete.

Por outro lado, um objeto metálico inteiriço, como uma marmita de alumínio (baixa e aberta), desde que sem contato com as paredes do forno, pode ser usado para aquecer um alimento, sem problema. Metais bons condutores elétricos, como o alumínio e o cobre, refletem as ondas eletromagnéticas.

Os fabricantes de fornos recomendam não usar objetos metálicos (colheres, garfos, marmitas etc.) por uma questão de segurança, visto que alguém pode deixar objetos metálicos muito próximos entre si ou em contato com as paredes do forno. Em casos extremos, uma peça metálica de grande volume pode provocar reflexões que prejudicam o funcionamento da válvula magnetron, geradora de micro-ondas.

No caso do papel de alumínio, se há muito papel e pouco alumínio, pode aquecer ao ponto de pegar fogo. Se há só alumínio, pouco ou nada aquece. Se o alumínio for em tiras, pode saltar arco entre elas.

Conclusão: Sim, objetos de alumínio podem ser usados normalmente, com os cuidados apontados.

Objetos metálicos em geral podem ser usados. Não se preocupe se deixou uma colher na xícara de leite aquecida no forno. Mas não deixe duas colheres soltas e muito próximas entre si.

2 comentários para “Mitos e Verdades sobre Micro-ondas”

Quer exibir sua foto? É fácil, basta cadastrar no site Gravatar o e-mail utilizado para fazer os comentários.
LAÍS RANGEL

30 de novembro de 2013 ás 15:56

BOA TARDE! GOSTARIA DE TIRAR UMA DÚVIDA, COMPREI UM FORNO MICROONDAS E AO LIGAR O RELÓGIO ESTÁ FUNCIONANDO O PRATO ESTÁ GIRANDO, PORÉM NÃO ESTÁ ESQUENTANDO O ALIMENTO. GOSTARIA DE SABER O MOTIVO. OBRIGADA ATENCIOSAMENTE LAÍS.

Perão

10 de maio de 2013 ás 14:54

Interessante!!! Principalmente a questão dos garfos e facas.

Deixe um comentário