Há muita discussão quando o assunto é micro-ondas, muitas coisas são ditas, mas há dúvidas sobre o que é verdade e o que é boato.

Para tentar esclarecer algumas dessas dúvidas e entender um pouco sobre esse assunto, conversamos com o pesquisador especialista em micro-ondas Engenheiro José Thomaz Senise e com o professor e coordenador dos cursos de  Engenharia Química e de Alimentos Marcello Nitz.

Qual a diferença entre cozimento convencional e em forno de micro-ondas?

Num forno convencional é preciso aquecer o ar no interior do forno para poder aquecer a superfície do alimento que se deseja cozinhar. O calor da superfície é transmitido para o interior do alimento por condução, no caso de sólidos, ou por condução e convecção no caso de líquidos. A temperatura no interior do alimento não ultrapassa a temperatura da sua superfície nem a do ar do forno.

No forno de micro-ondas, as ondas eletromagnéticas penetram no alimento e aquecem ao mesmo tempo, tanto a superfície quanto o interior.  A profundidade de penetração depende principalmente das propriedades dielétricas do alimento.   As paredes e o ar no interior do forno permanecem frios ou se aquecem pouco. Dessa maneira, pode ocorrer, que a superfície do alimento, em contato com o ar mais frio, não atinja a mesma temperatura do interior, que continua a aumentar pela ação das micro-ondas. Ou seja, a temperatura interna pode ser mais alta do que na superfície. Possivelmente essa é a origem da crença de que “as micro-ondas aquecem de dentro para fora”.

As micro-ondas podem escapar com o forno em funcionamento?

Verdade. As micro-ondas podem escapar, mas as normas internacionais estabelecem que ao longo da vida útil do forno o escape não deva superar 5mW/cm2 (cinco miliwatts por centímetro quadrado) a cinco centímetros de distância de qualquer parte do forno. Esse limite é observado com folga em todos os fornos comercializados, desde que obedecidas as recomendações para sua boa manutenção.

É preciso esperar alguns segundos para abrir a porta?

Mito. Ao abrir a porta, mesmo com o forno em funcionamento, desliga-se instantaneamente o magnetron, ou seja, o gerador de micro-ondas. Após o desligamento, não há “efeito residual” das ondas eletromagnéticas no interior do forno.

Alguns alimentos podem explodir no micro-ondas?

Verdade. Por exemplo, um ovo com a casca intacta. As micro-ondas atravessam a casca, aquecem os líquidos no interior do ovo e podem aumentar a pressão interna ao ponto de romper a casca.

Alimentos preparados no micro-ondas produzem substâncias que podem provocar tumores?

Depende. Se o alimento não produzir substâncias carcinogênicas quando preparado em forno convencional, não poderá fazê-lo em forno de micro-ondas.

Existem plásticos próprios para uso no micro-ondas. No que diferem esses plásticos dos outros?

Verdade. Uma embalagem para micro-ondas deve, a princípio, ser transparente às micro-ondas. Em outras palavras, não deve absorver a energia. Além disso, deve suportar a temperatura de uso. Geralmente a temperatura do alimento não excede a de ebulição da água.

Papel ou recipientes de alumínio podem ser utilizados no micro-ondas?

Há muita desinformação referente ao uso de objetos metálicos no forno de micro-ondas. A verdade pode se resumir no fato de que entre dois objetos metálicos muito próximos pode formar-se um arco. Por exemplo, não se deve aquecer um prato de porcelana que tem nas bordas um filete de ouro ou de prata, já que entre as partículas metálicas podem formar-se arcos que acabam prejudicando o filete.

Por outro lado, um objeto metálico inteiriço, como uma marmita de alumínio (baixa e aberta), desde que sem contato com as paredes do forno, pode ser usado para aquecer um alimento, sem problema. Metais bons condutores elétricos, como o alumínio e o cobre, refletem as ondas eletromagnéticas.

Os fabricantes de fornos recomendam não usar objetos metálicos (colheres, garfos, marmitas etc.) por uma questão de segurança, visto que alguém pode deixar objetos metálicos muito próximos entre si ou em contato com as paredes do forno. Em casos extremos, uma peça metálica de grande volume pode provocar reflexões que prejudicam o funcionamento da válvula magnetron, geradora de micro-ondas.

No caso do papel de alumínio, se há muito papel e pouco alumínio, pode aquecer ao ponto de pegar fogo. Se há só alumínio, pouco ou nada aquece. Se o alumínio for em tiras, pode saltar arco entre elas.

Conclusão: Sim, objetos de alumínio podem ser usados normalmente, com os cuidados apontados.

Objetos metálicos em geral podem ser usados. Não se preocupe se deixou uma colher na xícara de leite aquecida no forno. Mas não deixe duas colheres soltas e muito próximas entre si.

Devido ao avanço tecnológico que ocorre no mundo inteiro, os robôs deixaram a ficção e tornaram-se realidade. Dotados de inteligência artificial, eles são capazes de aprender e de repetir ações pré-programadas.

Existem vários tipos de robôs, desde os programados para cumprirem funções simples até os que são desenvolvidos para executarem trabalhos complexos, cuja execução por humanos seja prejudicial à saúde ou tenha riscos de acidentes, como exploração de ambientes com gases tóxicos, desarmamento de bombas e resgate de sobreviventes em locais de difícil acesso.

Para entender as diversas aplicações da robótica e incentivar o aluno de graduação a desenvolver pesquisas acadêmicas relacionadas a essa área, foi implantado na Mauá, em 2004, o projeto de pesquisa “Desenvolvimento de Robôs Autônomos”, tendo como atrativo a participação em competições estudantis.

Atualmente, diversos projetos realizados na Mauá são relacionados a robôs humanóides, que possuem características semelhantes ao do ser humano, como braços e pernas.

Esses projetos buscam desenvolver nos robôs humanóides a capacidade de tomada de decisões de forma inteligente, para a execução de ações pré-programadas, podendo ainda substituir o ser humano.

Para isso, são incorporados aos robôs diversos tipos de sensores, visuais, de audição e táteis, que lhe permitam obter uma percepção visual do ambiente, reconhecer comandos e sinais sonoros, bem como manipular diversos objetos.

Alguns dos projetos que utilizam os robôs Humanóides:     

  • Desenvolvimento de Sistema de Captura e Processamento de Imagens para Robôs Autônomos.
  • Controle de Movimentação de Robô Humanóide Comandado por Voz e com Processamento Baseado em Rede Neural Artificial.
  • Desenvolvimento de robôs para participação em competições na categoria RoboCup Humanoid.

Todos os alunos do curso de Engenharia da Mauá podem participar desses projetos extracurriculares.

Os interessados devem entrar em contato com a Professora Alessandra Dutra Coelho, coordenadora dos projetos, pelo email alessandra.coelho@maua.br

A Semana de Engenharia Mauá é um evento anual, organizado por uma comissão de alunos voluntários e professores orientadores, com o objetivo de oferecer aos participantes a oportunidade de conhecer novas tecnologias e tendências, além de promover o contato entre o meio acadêmico e o mercado de trabalho.

Com o tema “Explorando ideias para novos caminhos”, a 10ª Semana de Engenharia Mauá, acontece de 27 a 30 de junho, no campus da Mauá em São Caetano do Sul. Durante o evento serão oferecidos cursos e palestras voltados para as diversas áreas da Engenharia com a participação de profissionais de mercado e empresas renomadas.

A expectativa é que o evento receba aproximadamente 600 pessoas entre alunos, recém-formados e profissionais da área de Engenharia.

Entre as empresas participantes do evento estarão Ajinomoto, Cyrela, Alstom Brasil, Atlas Schindler, Votorantim, Globo Universidade, Rhodia.

As inscrições já estão abertas, confira toda a programação do evento no site www.semana.maua.br

Engenheiros formados pela Mauá em 2010, que tiveram o melhor desempenho na respectiva habilitação durante o curso, foram contemplados com o Prêmio Crea-SP de Formação Profissional.

A entrega das placas alusivas ao prêmio aconteceu em 19 de maio, no Auditório do Teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo.

Ao todo foram premiados 237 formandos de 77 Instituições de Ensino registradas no Crea-SP.

Confira os alunos da Mauá que foram premiados

Engenharia Civil
Sheila Aldecoa Piai

Engenharia Elétrica – ênfase em Computação
Ricardo Bertholdo Pandur

Engenharia Elétrica – ênfase em Eletrônica
Thiago Quartarollo Lopes

Engenharia Elétrica – ênsafe em Eletrotécnica
Tiago Sacomani Alves Ferreira

Engenharia Elétrica – ênfase em Telecomunicações
Mônica Henriques Martins Corrêa

Engenharia de Alimentos
Fabiana Marotti Togneri

Engenharia de Controle e Automação
Rafael Ferrari Villanueva

Engenharia de Produção Mecânica
Felipe Vahan Suren Karay

Engenharia Mecânica
Talita Guazzelli Dias

Engenharia Química
Luís Gustavo Morelli dos Santos

 

Veja as fotos da premiação no Flickr da Mauá.

Parabéns e sucesso aos nossos egressos!! 😉