FrankfurtUma das mais recompensantes experiências para um estudante universitário é ter contato com o mercado que o espera quando formado. Somente quando se conhece nos detalhes uma indústria em que se pretende trabalhar no futuro pode-se ter a certeza do acerto da escolha.

Conhecimento gera compreensão, e se tratando de sua carreira e formação, saber o máximo possível é quase um requisito. Uma das principais preocupações da Mauá com seus alunos, desde a primeira série, é mostrar o máximo possível do mercado de trabalho com palestras, workshops, exposições, eventos e promovendo intercâmbios.

Tudo para, desde cedo, aproximar o aluno do que o futuro lhe reserva. Dentro dessa linha está o intercâmbio “Automotive Engineering”, de 25 de janeiro a 5 de fevereiro de 2010, na Alemanha e França, promovido pela Intercâmbio Global.

Serão sete cidades visitadas (de Frankfurt até Paris), curso de 20 horas com profissionais e professores do mercado automobilístico europeu e 30 horas de visitas em fábricas de montadoras como Audi, Bugatti, Citroën, Peugeot, entre outras.

Bastante coisa, não? É contato direto com o mercado de ponta da área automobilística. “É necessário entender que atuamos em uma economia globalizada e que nesse contexo, é importante uma formação que contemple a experiencia internacional”, comenta Rafel Villas Boas, da Intercâmbio Global, sobre o reflexo desse programa se na formação do futuro engenheiro.

As inscrições vão até dia 05 de outubro, converse com seus professores e considere essa experiência em seu currículo. Detalhes podem ser obtidos no site da Intercâmbio Global – www.intercambioglobal.com.br. Engenheiro preparado é engenheiro de sucesso, concorda?

Diretor-Executivo da ABIC, Associação Brasileira da Indústria de Café, Nathan Herszkowicz formou-se em Engenharia Mecânica pela Mauá em 1972. No vídeo abaixo ele comenta sobre como um Engenheiro bem preparado pode exercer funções chave em diversos mercados.

Segundo Nathan, o Engenheiro tem “um espirito permanentemente voltado para criar, construir, edificar e transformar o ambiente ou a vida das pessoas em algo melhor. Se você busca excelência, a Mauá é o seu caminho.”

gelatina
Faça um experimento: durante o decorrer de um dia anote todas as ideias que surgirem na sua cabeça. Qualquer uma, desde uma solução para resolver a demora dos elevadores do seu prédio até uma nova forma de publicidade em campos de futebol. Após uma leve triagem (pesquisas online e busca de referências, por exemplo) pode contar que ainda sobrarão algumas na sua lista.

O passo seguinte é buscar modos para concretizar as ideias que sobraram. Aí a coisa fica complicada. Você notará falta de conhecimento técnico, recursos e formas de seguir adiante com a sua idéia.

Caso você seja aluno da Mauá, o panorama é um pouco diferente. Está na história do Instituto incentivar novos projetos de seus alunos, sempre com o objetivo de transformar a vida das pessoas por meio de uma simples ideia.

No começo de 2007 as alunas Adriana Andreoni, Fernanda Bernardi, Renata Reis e Taiana Trovão, então na 4ª série de Engenharia de Alimentos, buscavam um tema para o trabalho que desenvolveriam nos meses seguintes, mas que também pudesse continuar a ser trabalhado na última série do curso. O grupo teve uma ideia interessante que foi transformada em realidade nos laboratórios da Mauá: uma gelatina instantânea em pó que endurece sem precisar ir para a geladeira.

Buscando praticidade e saúde, as garotas do grupo levaram o projeto para a professora Eliana Paula Ribeiro e começaram, aos poucos, o desenvolvimento do produto.

“Os ingredientes que permitiram a obtenção da gelatina, quando adicionados a água fria, foram dois tipos de colágeno modificado: instantâneo e solúvel a frio. O primeiro é essencial para formar as pontes e redes que ligam água e formam o gel. E o solúvel a frio, juntamente com o açúcar, era importante para dar a solubilidade em água fria, já que a maioria das gelatinas e hidrocolóides não possuem essa propriedade”, explica a agora Engenheira Tatiana Trovão, que fazia parte do grupo. “Assim, junto com aroma e corante, conseguimos o produto final desejável”.

O projeto foi apresentado em 2008 na Eureka, feira promovida pela Mauá em que alunos mostram seus trabalhos de conclusão de curso – TCC. Também foi apresentado para a banca de avaliação do TCC, na qual recebeu elogios.

Esse trabalho não só mostra que na Mauá suas ideias encontram a realidade, mas também que, com ambiente certo e conhecimento empregado a serviço da transformação, várias coisas do seu dia a dia podem adquirir características novas e surpreendentes!

selo_post

Aluno de Design do Produto da Mauá, hora de ir à prancheta! Ou Tablet, ou laptop… Qualquer que seja seu método de criação, uma coisa é certa: vários concursos de design estão abertos e prontos para receber suas idéias, dando em troca, além das premiações, reconhecimento no mercado. É hora de testar seus conhecimentos.

Veja só alguns dos concursos que estão abertos:

  • Casas Bahia: É um concurso exclusivo para alunos do curso de Design do Produto do Instituto. O desafio é desenvolver um móvel funcional de cozinha, preferencialmente com materiais sustentáveis, para consumidores das Casas Bahia. Inscrições até 23 de setembro e premiação para os três primeiros lugares. Além do concurso o Instituto promoverá uma visita à Indústria de Móveis Bartira, que fabrica os móveis para a Casas Bahia.
  • Inova – Whirlpool: Concurso de uma das maiores empresas de eletrodomésticos da América Latina, que tem como proposta o desenvolvimento de soluções tanto de design como de engenharia que facilitem o dia-a-dia do consumidor. Premiação para os cinco primeiros colocados e para as duas primeiras Universidades. Inscrições até 14 de outubro.
  • Micasa: Chamado Design.br, este concurso é promovido pela Micasa, loja de móveis de reconhecimento internacional. São aceitos projetos individuais ou em equipe, voltados para mobiliário. Há premiação para os três primeiros colocados. Inscrições até 08 de novembro.

Interessantes, não? Para você, que é aluno do curso de Design do Produto e quer participar de algum desses concursos, senão de todos, a Mauá conta com Monitorias e suporte especial de professores do curso para auxliá-lo no desenvolvimento dos seus projetos.

Para horários e datas, basta manter-se ligado no blog dos alunos do curso, que também fala de todos os concursos citados aqui e dos que ainda ocorrerão. Vale também inscrever-se na lista de discussão do curso. A coordenadora do curso, Cláudia Facca, acompanha junto com professores todos os projetos e participa da lista junto com os alunos.

Então, mãos à obra!