Se você se identifica com o ramo da Engenharia Civil e pretende se habilitar nessa área, mas possui dúvidas sobre o curso e as possibilidades de carreira, então esta #dicadeMestre é para você!

Engenharia Civil é um dos ramos mais importantes da Engenharia e com a maior carência de profissionais na atualidade. O Engenheiro Civil é responsável pela concepção, projeto, construção e manutenção de todos os tipos de infraestrutura, executando obras como edifícios, casas, estradas, viadutos, entre outros e preocupando-se, também, com a preservação do meio ambiente. O seu campo de atuação é amplo e diversificado, com inúmeras possibilidades de carreira.

Construção Civil: construções pesadas, de casas, de edifícios e indústrias; construção em geral; desenvolvimento de tecnologias de materiais de construção; desenvolvimento de equipamentos para a construção civil; gerenciamento e gestão de obras civis.

Estruturas: desenvolvimento de projetos de estruturas diversas aplicadas à construção civil em geral; projeto de estruturas de concreto armado e protendido; projeto de estruturas de aço e metálicas; projeto de estruturas de madeira.

Geotécnica: desenvolvimento de projetos e implantação de fundações e obras de terras para apoio de estruturas diversas aplicadas à construção civil em geral.

Recursos Hídricos e Saneamento: desenvolvimento de projetos e construção de obras de adutoras; regularização de rios e canais; drenagem urbana; estações de tratamento de água e de esgoto; emissários submarinos; obras portuárias; barragens de usinas hidrelétricas; gerenciamento de recursos hídricos.

Transportes: projeto e construção de rodovias, ferrovias, aeroportos, navegação fluvial e marítima; sistema metroviário; logística de transporte; economia de transporte.

Na Mauá, o aluno contará com formação de qualidade e terá muitas experiências práticas nos diversos laboratórios. Além disso, poderá estudar no exterior, por meio dos programas de parcerias que a Mauá mantém com renomadas universidades estrangeiras.

Duração do curso: 5 anos no período diurno; 6 anos no noturno.

Campus: São Caetano do Sul.

Perfil requerido do estudante: ser estudioso; gostar de cálculos, de novos desafios e de identificar e resolver problemas.

Assista ao vídeo com as dicas da Prof.ª Cássia Silveira de Assis, coordenadora do curso de Engenharia Civil da Mauá!

Lembre-se: você pode fazer uma visita ao Campus da Mauá e esclarecer todas as suas dúvidas sobre o curso com o corpo docente, do qual 80% são mestres e doutores, além de conhecer a nossa infraestrutura de 130.000m², que oferece mais de 100 laboratórios e estacionamento gratuito.

 

Acesse agora a página do curso de Engenharia Civil no site da Mauá e consulte mais informações!

 

#dicasdeMestres #agoraeusei #EngenhariaCivil

Ingressar numa universidade não é tarefa fácil. Afinal, é chegado o momento de transição para a vida adulta, que inclui a busca por autonomia, a escolha da profissão e a disputa por vagas de emprego no mercado de trabalho.

“Qual profissão é mais adequada ao meu perfil? Como serei feliz no trabalho? Será que gostarei de fazer o que escolhi por longos anos?” são perguntas frequentes na mente de muitas pessoas nessa fase. Mas, fique tranquilo, nós vamos ajudar: separamos algumas dicas dos Mestres da Mauá para esclarecer as suas dúvidas sobre os cursos de Engenharia, Administração e Design!

Hoje, iniciaremos com informações sobre o curso de Engenharia de Alimentos, profissão em ascensão no mercado que necessita de pessoas proativas, com espírito empreendedor e gostam de trabalhar em equipe.

O setor de Alimentos é um dos que apresentam maior crescimento e estabilidade no Brasil. O Engenheiro de Alimentos é um profissional multidisciplinar, responsável pela produção eficiente e segura de alimentos em grande escala, desde a escolha dos ingredientes até a chegada do produto final na mesa dos consumidores, além do  processo de conservação, armazenamento e transporte. Esse profissional também deve determinar o valor nutricional dos produtos e desenvolver alimentos saudáveis, práticos e com poucos aditivos, atualmente desejados e buscados pelos consumidores.

Os alunos do curso de Engenharia de Alimentos da Mauá recebem a formação básica da Engenharia e especializam-se com as disciplinas técnicas. Também são preparados para atuar em âmbito empresarial e em gerenciamento industrial, com disciplinas como Administração, Economia, Direito e Gestão Empresarial. Contam, ainda, com um intenso programa prático, desenvolvido  nos diversos laboratórios didáticos e de pesquisa, nas plantas de processamento de alimentos em pequena escala e na instalação semi-industrial, capaz de simular o desenvolvimento de diversos produtos, de forma similar a uma indústria de alimentos.

Duração do curso: 5 anos.

Período: diurno.

Campus: São Caetano do Sul.

Áreas de atuação: produção industrial, pesquisa e desenvolvimento de produtos, desenvolvimento e otimização de processos, garantia da qualidade, assistência técnica, consultoria, fiscalização, perícia técnica, entre outros.

Assista ao vídeo da Prof.ª Eliana Paula Ribeiro e confira as dicas sobre o curso, os diferenciais, disciplinas e mercado de trabalho!

Quer saber mais sobre Engenharia de Alimentos? Clique aqui! Se ainda está com dúvidas, sugerimos que converse com um profissional do ramo. Agende uma visita ao Campus da Mauá, conheça nossa infraestrutura e fale com o professor e coordenador da área! Nós estamos à disposição para ajudá-lo a descobrir o curso ideal para você! :)

Conheça a página dedicada ao curso de Engenharia de Alimentos no site da Mauá!

 

#dicasdeMestres #EngenhariadeAlimentos

 

Hoje é dia de celebrar! \o/

Imagem antiga do Campus de São Caetano do Sul

Nesta data, comemora-se o Dia do Engenheiro, firmada em 11 de dezembro de 1933, quando foi promulgado o Decreto Federal nº 23.569 que regulava o exercício da profissão. Nesta mesma data, a Mauá celebra a sua fundação, que neste ano completa 53 anos.

O Instituto Mauá de Tecnologia foi criado com o objetivo de promover o ensino técnico-científico, a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico e, com isso, desenvolver profissionais altamente qualificados a contribuírem para o desenvolvimento do País. É uma Instituição de Ensino privada, sem fins lucrativos, que oferece um dos melhores cursos de Engenharia do Estado de São Paulo e  também é reconhecida pelos cursos de Administração e de Design, pela excelência no ensino.

Na Mauá, os alunos têm a oportunidade de colocar em prática o que aprendem, por meio de atividades de competição acadêmica, iniciação científica, projetos, oficinas, experiências no exterior, além de poder continuar os estudos com os cursos de Especialização, MBA e Mestrado, complementares e extremamente importantes para se construir uma boa carreira profissional.

Campus IMT São Caetano do Sul

São inúmeras as histórias e as conquistas  da Mauá até hoje. E continuará , com muita satisfação e alegria, a ser referência nas áreas de Engenharia, Administração, Design, Inovação e Tecnologia, além de fornecer um ensino de excelência e trazer soluções que contribuam para o bem-estar de todos!

Nós agradecemos por fazer parte da vida de milhares de pessoas que nos confiaram o seu bem mais precioso: o aprendizado! E cumprimentamos os Engenheiros, que constroem um mundo melhor a cada dia. :)

 

Juntos, continuaremos a construir o ambiente ideal para inovação!

Parabéns, engenheiros! E feliz aniversário, Mauá! \o/

#DiadoEngenheiro #53anosMaua

 

 

O estudante Charles Chong Bin Yu está na 2.ª série de Engenharia de Produção da Mauá e embarcou em setembro deste ano para a cidade de Derby, Inglaterra, famosa por sediar fábricas de marcas renomadas como Rolls Royce e Bombardier.

 Charles está estudando na University of Derby, pelo programa Ciência sem Fronteiras, e tem uma rotina de estudos bastante diferente do que vivia. Ele contou para o BLOG da Mauá que está adorando a experiência no novo País e  adaptando-se muito bem à nova cultura. Confira a entrevista.

 

Cidade de Derby

BLOG da Mauá: Como conseguiu participar do Ciência sem Fronteiras?

Charles: O processo foi muito trabalhoso e tive de correr atrás de várias coisas. Como me inscrevi em cima da hora, foi tudo muito corrido.

O primeiro passo foi  cadastrar-me  e esperar a homologação. Depois, preparei-me  e estudei para o TOEFL (teste de inglês), mas,  quando me inscrevi para a prova,  percebi que o resultado não chegaria a tempo de enviar para o UUK, parceiro do governo brasileiro. Ainda assim eu  fiz a inscrição com a esperança de prorrogarem o prazo de envio ou, na pior das hipóteses, usá-lo no próximo edital. E deu tudo certo, pois o prazo para o envio foi mesmo adiado.

 Em meados de março deste ano, saiu a lista dos aprovados no Ciências sem Fronteiras e meu nome estava lá. Iniciei a pesquisa sobre as faculdades do Reino Unido e, com isso, defini as minhas 3 opções de IES na Inglaterra, onde escolhi estudar.

A University of Derby aceitou-me e eu fiquei muito feliz, pois é uma Universidade bem conceituada e com bom histórico no programa Ciências sem Fronteiras.

A Mauá ajudou-me muito nesse processo, com informações relevantes sobre o programa e com avisos dos  prazos de cada etapa.

 

Visitando Londres

BLOG da Mauá: Como é viver em outro País e em outra cultura?

Charles: O meu cotidiano mudou muito, muito mesmo. Primeiro porque no Brasil tenho aula todos os dias, mas aqui focam no estudo individual e tenho apenas 3 aulas por semana, com duração de 4h cada. Portanto  estudo muito em casa e geralmente há mais atividades do que provas. Aqui, as pessoas estudam, em geral, 3 anos para se formarem.

No Brasil, eu não costumava praticar esportes durante a semana, mas aqui mudei completamente a rotina. As pessoas vão muito à academia e a universidade oferece várias opções das mais diversas modalidades, como futebol, vôlei, artes marciais, entre outros.

A experiência de viver em outro País é muito legal. Você aprende a experimentar coisas novas, a morar sozinho e ter responsabilidades. “Mergulhar” em uma cultura nova é uma experiência muito boa. No começo foi meio estranho, mas fui-me acostumando.

Os ingleses têm fama de serem ‘frios’, mas isso é mito. Sim, eles são, na maioria das vezes, muito reservados, mas são educados, simpáticos, amigáveis e estão sempre dispostos a ajudar.

Foi estranho me acostumar com o tempo daqui, sempre muito frio e com poucas horas de sol.

 

Visitando a Alemanha

BLOG da Mauá: Você aplica em seus estudos o que aprendeu na Mauá?

Charles: A maioria dos alunos do programa Ciência sem Fronteiras está na 3.ª ou 4.ª série, enquanto eu estou na 2.ª, ou seja, no início do curso. Apesar disso, a Mauá me deu uma base muito boa para que minha aprendizagem aqui fosse tranquila.

 

BLOG da Mauá: Quais foram os aprendizados que mais o marcaram até o momento?

Charles: Aprendi muitas coisas até agora. Não foi fácil pensar sobre fazer o intercâmbio, mas acho que,  quanto mais decisões difíceis você tem na vida, mais você amadurece. E está sendo uma experiência maravilhosa.

 Você acaba aprendendo várias coisas do cotidiano que normalmente são de responsabilidade dos seus pais. Aqui você precisa ir ao supermercado, cozinhar para você mesmo, cuidar do dinheiro que ganha, aprender a viver com as diferentes culturas.

 Acredito que o maior aprendizado é viver o máximo de experiências que conseguir, pois é uma forma de me preparar para o mercado amplo e vasto que a minha profissão escolhida oferece. Há muito para se conhecer no mundo.

 

Visitando a Bélgica

BLOG da Mauá:  Você passará as férias por aí? Quais são os seus planos?

Charles: Com o fim das aulas e as entregas dos trabalhos, eu pretendo viajar para o Marrocos e para a Turquia, dois lugares que irão proporcionar-me experiências incríveis. Quero aprender muito.

Desde que chegou na Inglaterra, o aluno já visitou outros países, como Alemanha, Bélgica e Escócia. Charles retornará ao Brasil em novembro de 2015, com muita história para contar e muito confiante com o seu futuro profissional.

 

A Mauá orgulha-se muito e congratula este jovem aventureiro! Muito sucesso para você, Charles! \o/